Agência Crânio

  • Projeto Sentidos – A IMAGEM DA MULHER NA COMUNICAÇÃO PUBLICITÁRIA
  • Resumo: Não é segredo que a mulher sempre foi representada na publicidade de forma estereotipada e cercada de machismo e sexismo. No passado a mulher era a serviçal do lar, aquela que deveria ter energia para cuidar da casa e dos filhos e ainda permanecer bonita para agradar o seu marido – a boa esposa. Depois, conforme foi conquistando seu espaço no mercado de trabalho, a ideia era coloca-las à serviço do homem – a outra do trabalho. Por fim, a figura torneada e sensual da mulher tomou conta da publicidade com intenção de atrair olhares masculinos e objetificá-las – a tentação inalcançável! O foco sempre foi usar a mulher para agradar os homens, fato. Diminuir as suas lutas vem de brinde. Justificar ou validar abusos é o bônus. Nessa linha, as peças publicitárias da indústria cervejeira sempre foram as “folhinhas de mulheres nuas” (tão grotescamente presentes em oficinas mecânicas) da publicidade. E mesmo quando não existe a figura sexualizada da mulher, eles conseguem só com palavras, coloca-las à disposição masculina como mostraremos nesse artigo.