DÉBORA DE SOUZA DUARTE

  • DEUS AMA, O HOMEM MATA: UMA ANÁLISE DA REPRESENTAÇÃO DAS MINORIAS PRESENTES NA GRAPHIC NOVEL SOB A VISÃO DA SEMIÓTICA
  • Resumo: Esta pesquisa analisa a graphic novel “Deus ama, o homem mata”, de Chris Claremont e Brent Anderson pelo ponto de vista da semiótica peirceana. Por meio dessa teoria são analisadas as entrelinhas da narrativa dessa abordagem fantasiosa que guarda uma série de significados, que essa ciência ajuda a desvelar. Os X-Men, grupo de heróis centrais nessa história, são personagens criados em 1963 por Stan Lee e Jack Kirby para a Marvel Comics. Desde o início, estes personagens transmitem mensagens sobre preconceito e segregação em suas histórias abordando temas referentes aos negros, às mulheres e ao público LGBTQIA+. A equipe conscientiza, indiretamente, o seu público leitor. Assim, é possível notar na narrativa o quanto a ficção pode se aproximar do mundo real, pois ela denuncia um discurso de preconceito e ódio muito utilizado por líderes (sob vários aspectos) no mundo inteiro. As mensagens acabam sendo uma forma de conscientização para alertar o seu público sobre preconceito contra as minorias sociais. As histórias em quadrinhos e graphic novels não são só entretenimento e ficção, a despeito do que muitos pensam, elas podem e devem ser um instrumento de conscientização para o que acontece no mundo.
  • Orientador: Prof. Me. Luiz Vicente de Lima Lázaro.

PDF: MONOGRAFIA – Deus ama, o homem mata: Uma análise da representação das minorias presentes na Graphic Novel sob a visão da Semiótica.